Archive for Abril, 2011

Corrida da Liberdade 2011

Abril 25, 2011

Participei hoje nesta prova clássica da cidade de Lisboa. Foi a minha segunda participação na corrida onde se celebra o 25 de Abril. No ano passado a corrida começou no Largo do Carmo e foi até à Pontinha e este ano o percurso inverteu, começando na Pontinha e indo até aos Restauradores.

Eu não tenho treinado nada de jeito, por falta de tempo mas também por falta de vontade. Por esquecimento, nem sequer me tinha inscrito na prova. No entanto sabia que aceitavam inscrições de última hora.

Já aprendi há algum tempo que “o dia em que não te apetece treinar, é o dia em que tens de treinar”. Portanto lá fui, para recuperar a liberdade de correr por correr.

Fiz a inscrição de última hora (foi só dar o nome e trazer o dorsal) pendurei o dorsal e fiquei a apanhar um bocado de sol.

Nisto andava por lá uma senhora do exercíto a distribuir cravos vermelhos pelos corredores. Pormenor muito simpático. Não consegui ficar com um cravo mas se tivesse ficado só me atrapalhar a corrida, portanto adiante :).

Antes da partida ainda falei um bocado com o Luís Parro, que me incentivou e recomendou concentração. Realmente tem faltado…

Foi dada a partida e lá fui eu. O percurso desta prova é bastante variado, com várias subidas e descidas logo nos primeiros quilómetros.

Passei aos 5 Km com 21:40 ou algo do género, o que é muito bom para os meus tempos habituais.

E foi aqui que a coisa se complicou. Do Campo Grande até ao Saldanha vi-me grego para aguentar o calor. Quebrei um bocado e o abastecimento de água safou-me, mas não por muito tempo. Depois de chegar ao Saldanha a coisa ficava fácil, pois era sempre a descer até aos Restauradores. Mas a minha maior quebra foi mesmo aí, um pouco depois de passar do Marquês de Pombal.

Passei pela placa dos 10 Km… e ainda não era ali a meta. Que raio, eles tinham anunciado 10 Km, eu tinha estado a correr para o meu melhor tempo aos 10 Km com um sol maluco e ainda tinha de fazer mais um bocado da Av. da Liberdade até aos Restauradores. Só me lixam… :). Esse resto da descida custou-me bastante, pois já ia simplesmente a rolar até ao fim.

A certa altura, faltavam uns 50 metros para a meta, e uma rapariga que vinha de trás encostou-se ao meu lado. Lá acordei e meti um bocado mais de ritmo nas pernas para acabar a corrida.

Tempo final: 46:45 (min). O Garmin marcou 10.75 Km.

Até fiquei satisfeito com o tempo. Quando passei aos 10 Km ia claramente abaixo dos 45 (pelo Garmin ia com 43:37). Mesmo ajustando tendo em conta o desnível, a coisa não iria correr muito pior do que o costume.

Continuo sem aguentar muito bem o calor. Não sei se consigo dar a volta a isso treinando em alturas de calor, mas vou investigar a questão. Nesta altura não dá para fugir ao calor, pois quase todas as provas são de manhã.

Anúncios

Prova Livre da Estafeta Cascais -> Lisboa

Abril 17, 2011

Com umas brilhantes 3 ou 4 horas de sono e depois de ontem ter ido a uma despedida de solteiro (que meteu uma prova de karts na qual fiquei em último :p) fui para Cascais com um amigo para percorrer os 20 Km desta prova.

Não era que tivesse muita vontade de lá ir, mas já que me tinha inscrito e pago… sempre era um passeio, um bocado de exercício e um bocado de sol.

Combinei com o meu amigo que ia fazer a prova com ele, primeiro porque não me apetecia muito correr depressa e segundo porque ele queria tentar baixar o tempo que tinha feito em Cascais e correr com alguém ao lado ajuda sempre a entrar e a manter um ritmo mais forte. O objectivo era fazer em 2 horas.

Nos primeiros quilómetros a prova estava controlada e estávamos  a fazer um tempo que iria permitir alcançar as 2 horas. No entanto não deu para manter o ritmo durante a prova toda. Fomos mudando o objectivo. Pensámos nas 2:05, mas a certa altura percebemos que também não ia dar. Passámos para as 2:08, que era o tempo que ele tinha feito em Cascais. Também não deu.

A certa altura digo eu, meio na brincadeira: “Quando lá chegarmos já não há t-shirts do nosso número.”. Estava a adivinhar.

Já não me lembro em que quilómetro foi, mas o Garmin ficou sem memória para guardar mais dados…

Acabámos a prova em 2h e 15 minutos…

Quando chegámos ao final já nem havia t-shirts nem medalhas. A organização ficou lá com os nossos dorsais para nos contactarem posteriormente para nos darem a medalha e a t-shirt.

Passado um bocado, o rapaz tirou um dos ténis e tinha umas três bolhas no pé.

Não correu nada bem esta minha tentativa de fazer de “lebre”…

Off-topic #2 – 25 anos de Pixar

Abril 4, 2011

O “off topic” desta semana é centrado num vídeo que apresenta imagens de vários filmes dos estudios de animação Pixar.

A Pixar costuma fazer filmes engraçados e com muita “alma”. Apesar de serem animações, estão longe de serem filmes para crianças.

E, já agora, aqui ficam os meus filmes favoritos da Pixar:

Tomara a muitos filmes com imagens reais terem metade da “alma” que qualquer um destes três tem :).

E pronto, o “off-topic” fica por aqui. Até um dia destes…

Corrida dos Sinos 2011 (Mafra)

Abril 3, 2011

Mais uma estreia da minha parte numa prova clássica do nosso país.

Tive a companhia do Osvaldo (que tem andado meio baldas nestas coisas das corridas) nos 15 Km (“Sinos”) e do Tiago (segunda corrida de sempre e em fins de semana consecutivos) nos 6 Km (“Sininhos”).

Como nunca lá tinha ido, fui investigar o percurso e li numa discussão n’O Mundo da Corrida que aquilo tinha vários quilómetros a descer mas que depois tinha de se voltar para trás e enfrentar as mesmas ruas mas no percurso ascendente.

Portanto a estratégia era ir com calma durante os primeiros dois ou três quilómetros e depois ir ao ritmo normal. Eu tenho pouca experiência em provas de 15 Km pois, até hoje, apenas tinha feito uma. Claramente não queria fazer como nas Lezírias, onde arranquei forte logo ao início, pois nessa corrida o percurso era praticamente todo plano e o de hoje não seria.

Chegádos a Mafra fomos buscar os dorsais. Vi por lá o Luís Parro e o José Magro, que estão sempre presentes 🙂 nestas “festas”.

Após o início da prova comecei a cumprir o meu plano. Fui com o Osvaldo a um ritmo mais ou menos conservador, fazendo dois quilómetros acima dos 5 min / km. Um bocado depois do terceiro arranquei e fui andar um bocado mais rápido.

O percurso era mais ou menos como tinham dito lá no fórum, portanto fiz a descida com calma embora estivesse a fazer tempos à volta dos 4:30 / 4:40 por km. A meio da descida um dos meus atacadores desatou-se. Ainda fiz alguns metros com o atacador solto, mas tinha tanta gente à volta e faltavam muitos quilómetros, pelo que achei melhor apertar aquilo. Encostei, apertei-o e voltei à prova. Continuei a descer em direcção ao ponto de retorno que seria algures aos 8 Km.

Cheguei ao ponto de retorno e procurei por ali umas referências para a subida. Colei-me lá a dois corredores que vinham a falar um com o outro e tinham pinta de quem ia correr bem. Andei vários quilómetros com eles, embora às vezes tivesse de apertar um pouco para os acompanhar. A certa altura, no topo da subida antes da distribuição de água (dos 9 ou 10 Km) eles ficaram para trás, mas apanharam-me novamente já depois da subida.

Algures entre o 10º e o 11º quilómetro fomos alcançados por um outro corredor que ia num ritmo um bocado mais forte. Resolvi ir atrás dele. Fui ficando por ali durante alguns quilómetros, mas houve outra subida para aí aos 13.5 Km onde fiquei um bocado para trás.

Depois dessa subida consegui começar a recuperar terreno. A cerca altura vejo a placa dos 14 quilómetros e percebi que estava a chegar ao parque onde seria o final da corrida. Deu-me aquela força de quem sabe que está quase na meta e comecei a correr mais rápido. Passei pelo corredor que me tinha deixado para trás um bocado antes e ouvi-o a dizer “força”.

Dentro do tal parque reparei que era preciso dar mais uma volta ali dentro antes de ir para o tartan. É lixado quando estamos virados para acabar a prova e ainda temos de ir correr mais um bocadinho :). Olhei para o relógio e percebi que não dificilmente faria melhor do que nas Lezírias. Fiz ali algumas centenas de metros a um ritmo forte mas sem exagerar.

Até que cheguei à pista. A entrada na pista era a descer, o que permitiu ganhar um bocado de balanço.

Na pista começo a fazer a curva e a analisar a concorrência. Vejo um grupo de quatro corredores, que iam com 10-15 metros de avanço, e defini como alvo alcançar pelo menos aquele grupo. E lá comecei a mexer-me um bocado mais rápido em direcção aos mesmos. Nisto, só vejo um corredor desse grupo a sair para fora para fazer um sprint para ultrapassar os outros. E que é que me passa na cabeça naquele momento? Ultrapassar o tal sprinter, claro.

E nisto começo a correr à parva e a fazer um sprint muita parvo para a fotografia e para apanhar o outro sprinter. A certa altura só oiço alguém na bancada a gritar “Vais passá-lo, vais passá-lo!” com grande entusiasmo. E Lá passei o outro corredor.

Uns metros depois cruzei a meta. O Garmin marcou 1h10m42s em 15.19 Km.

Recebi os prémios (onde se destaca um belo Sino… para variar das medalhas) e fui ter com o Tiago, que tinha acabado os 6 Km muito tempo antes. Passado um bocado voltei a ver o José Magro e o Luís Parro. E o Osvaldo, que teve um problema de sangramento do nariz e acabou com a camisola toda cheia de manchas da cor que ocupa mais espaço na bandeira.

Não fiz melhor do que nas Lezírias (1h08m58s) mas o percurso desta corrida era mais complicado, porque causa do sobe e desce. Além disso nas Lezírias acabei todo roto e nesta corrida tive forças para sprintar de forma forte. De qualquer forma fiquei satisfeito com o resultado. E acho que começo a gostar mais de correr 15 Km do que de correr 10 Km.

Tive pena de não ter visto quem foi a pessoa que estava aos gritos quando me viu a sprintar no final. Teria lá  ido lá agradecer aquela “fé” toda no meu sprint :).

PS: Estava por lá a Rosa Mota, que de vez em quando aparece nestas provas populares e anda a dar apoio à malta. Descobri agora que ela é a recordista feminina desta corrida, com 50:11 feitos em 1987 (um record com 24 anos).