Corrida do Primeiro de Maio (2012)

No primeiro dia deste mês andei a correr pelas principais ruas de Lisboa, naquela que foi a minha segunda participação na Corrida do Primeiro de Maio.

Já conhecia o percurso do ano passado, e sabia que a primeira parte é rápida e enganadora, permitindo uns andamentos rápidos que no final se podem pagar… E se for para pagar, a factura provavelmente vem na subida da Almirante Reis.

Ora, eu e a Almirante Reis até andamos amigos (pelo menos desde a Maratona) e eu não estava na prova para me chatear com a senhora Avenida. Portanto o plano era ir nas calminhas até lá baixo, aproveitar as descidas para andar rápido sem grande esforço e depois fazer a segunda metade a recuperar terreno.

Antes do início da prova estava uma chuva ligeira a refrescar a malta. A temperatura estava muito boa para correr.

A menos de meia hora do arranque, a organização anunciou algumas alterações ao percurso. Segundo disseram, as alterações foram pedidas pela polícia devido a obras. Eram duas alterações: retirada da volta à Praça do Comércio e no Areeiro não se ia fazer a rotunda. A segunda alteração era mínima, mas ficou óbvio que a primeira alteração ia tirar uma quantidade relevante de metros à prova.

Enquanto esperava o início da prova atrás da linha de partida, começou a chover bastante. Mas mesmo bastante, daquelas pingas que quando acertam aleijam… O pessoal começou a ficar impaciente…

E lá foi o arranque. Encostei-me à direita, meti-me no ritmo dos 5m30s e deixei-me ir por ali. Quando estava quase a sair do tartan do Estádio 1º de Maio, olhei para o lado de dentro da pista e dava para ver que ainda havia muito pessoal lá para trás… ou seja, estava muita gente ali na prova, o que não é de admirar tendo em conta o simpático preço de inscrição (3 euros).

Lá fui a correr na chuva, nas calmas, sem me esticar no ritmo e sem ir atrás do engodo. Passados uns dois ou três quilómetros a chuva parou, mas a temperatura continuou bastante boa para correr. E fui assim, nas calmas, até ao Saldanha, onde aproveitei a descida até ao ponto de retorno (um pouco antes da Praça do Comércio) para ganhar alguma velocidade mas sem entrar em esforço extra.

Chegado ao ponto de retorno comecei a recuperar caminho, colocando em jogo a força que tinha estado a poupar desde início. A subida da Almirante Reis correu bem, tendo ultrapassado muita gente, o que normalmente é bom indicador (embora possa parecer egoísta).

Perto do final da subida começou a ser óbvio o “encurtar” de distância da prova. As marcas de quilómetro começaram a aparecer mais rapidamente, com o Garmin a discordar da distância em alguns quilómetros em cerca de 200 metros, o que é muita fruta, mesmo tendo em conta eventuais erros do GPS. E não era só o meu, pois ouvi o mesmo comentário de outro participante.

Depois do Areeiro ainda estava com forças e consegui uns bons ritmos. Um pouco antes da entrada na Av. Primeiro de Janeiro comecei a sentir algum cansaço e tive de reduzir o andamento, mas quando cheguei à referida Avenida, embalei em resposta ao aumento de ritmo por parte de outro corredor (uma daquelas reacções que acontecem sem se pensar muito) e acabei por voltar a um bom ritmo (ainda havia energia).

Após entrar no Estádio Primeiro de Maio foi só dar um saltinho até à pista de atletismo, encostar à esquerda e apertar ligeiramente para cruzar a meta.

No final prova o meu Garmin marcava 14.79 Km, feitos em 1h13m58s.

Acabei a prova a sentir-me muito bem, sem excesso de cansaço e sem quebras. Podia ter arriscado mais durante a primeira metade, mas ainda não estou com aquele género de forma que permite arriscar muito e que leva a resultados fixes. Uma boa execução de prova exige cabeça, mas também exige algum risco, caso contrário em vez de se perder tempo na eventual quebra, perde-se nos caldos de galinha.

Comparação 2012 vs 2011

A comparação com a minha participação nesta prova no ano passado fica um bocado complicada devido às alterações ao percurso. No ano passado o meu Garmin tinha marcado 15.21 Km, e este ano marcou menos 400 metros. De qualquer forma é fácil de ver que este ano o resultado final não foi tão bom, como já vem sendo hábito.

Aqui fica uma tabela para comparação rápida entre os dois anos. O único tempo parcial que introduzi foi o dos 5 km porque foi o único parcial cuja distância se manteve igual ao ano passado.

Ano Tempo aos 5 km Distância Tempo Final
2012 25m56s 14.78 1h13m58s
2011 21m45s 15.21 1h09m14s

Se o tempo deste ano, por si só, já era pior do que o tempo do ano passado, a menor distância ainda o torna pior… No tempo aos 5 km então é que se nota mesmo bem a diferença.

Para isso também contribui o facto de no ano passado eu ter tido uma abordagem mais “agressiva” a esta prova, tendo logo de início andado muito forte e quebrado mais para o final. Este ano não tive nenhuma quebra, tendo feito a prova em negative split (a segunda metade foi mais rápida do que a primeira), o que tendo em conta que a segunda metade inclui a subida da Almirante Reis, não é mau de todo.

De qualquer forma, sinto que estou a subir de forma, e isso é que interessa. Mais cedo ou mais tarde, melhores tempos (de prova) virão.

Organização

A única queixa que tenho é mesmo o encurtar da distância da prova.

Anúncios

Etiquetas:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: